Português

Questionar o status quo não é um crime, mas uma virtude

„A dúvida é um dos fundamentos da sociedade ocidental. Enquanto ela era considerada uma fraqueza ou pecado nas épocas escuras da Idade Média, é agora uma parte essencial do progresso e da democracia. Por conseguinte, regimes autocráticos suprimem , os que duvidam, enquanto sistemas abertos eles apreçam“.

2015/08/02, Mathias Müller von Blumencron, Munique,  FAZ-online

Uma distorção mais grotesca dos fatos não pode ser imaginada. Em nenhum sistema político no histórico céticos„, dissidentes e pensadores independentes foram difamados e perseguidos tão absolutamente por uma estrutura que está controlada pela „religião“ liberaldemocrática da sociedade ocidental„.

Nunca na história do mundo houve esse nível de intolerância e tirania espiritual de auto-engano de ser „infalível“ „indispensável“, como na „comunidade ocidental de valores„.

O blog „dissidência nasceu da motivação que a „comunidade ocidental de valores“ não consegue, a submeter-se o espírito livre e independente do  individual  humano. Envolva-se: o pensamento independente, a ação independente, o conhecimento da verdade e da essência das coisas não é um „crime“, na acepção do dogma dessa comunidade, mas um direito fundamental.

Apreciamos textos e artigos em Português. Além disso iremos traduzir determinados artigos básicos nesta língua também.

Advertisements

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s

Am Bestehenden zu zweifeln, ist kein Verbrechen, sondern eine Tugend

%d Bloggern gefällt das: